Adoçantes: os melhores e os piores para a saúde

Existem dois tipos de adoçantes: os naturais e os artificiais ou sintéticos.

Os naturais são obtidos sem reações químicas, a partir de plantas ou de alimentos de origem animal.

Os artificiais ou sintéticos são obtidos de produtos naturais ou não, através de reações químicas apropriadas.


Neste texto, você conhecerá os prós e os contras dos principais adoçantes e, a partir dessa informação, terá subsídios para, na hora de comprar, escolher o melhor para você e sua família.

ADOÇANTES NATURAIS

Frutose 

Extraída das frutas e mel. É mais doce do que a sacarose (açúcar refinado) 173 vezes. Apresenta 4 Kcal/g e provoca cáries. As pessoas diabéticas devem utilizá-la com moderação.

Sorbitol 

Encontrado na natureza em frutas e alga marinhas. Apresenta poder adoçante 50% menor do que a sacarose. Possui 4 kcal/g. As pessoas com diabetes não podem utilizá-lo. É estável ao calor. Em combinação com outros adoçantes (sorbitol, acessulfame-K, aspartame, ciclamato sacarina ou esteovídeo) é empregado na fabricação de biscoitos, chocolates, goma de mascar e refrigerantes.


SUPERBEBIDA ANTIOXIDANTE E DESINTOXICANTE: SUCHÁ DE MELANCIA, GENGIBRE E CHÁ-VERDE

Água de quiabo combate diabetes e colesterol